O Que Acontece Quando Você Não Segue o Seu Coração

Essa noite ao colocar a minha pequena Gabi para dormir,  ela se remeteu a uma fase difícil de nossa vida no final de nossa oração.

Eu sei que isso é um blog e não um diário, mas eu me sinto na obrigação de compartilhar esta história da minha vida, de abrir completamente dois capítulos do meu livro porque eu acredito que quando aprendemos com os erros alheios podemos nos poupar de cometer os mesmos erros.

Os dois capítulos da minha vida que vou compartilhar aqui foram tão fortes para a minha filha que a deixou desmaiada, enclausurada, no porão de um castelo fechado pela mata aonde ninguém poderia salva-la.

Capitulo 2:

Talvez você já saiba que a minha vida virou um inferno depois que eu voltei da licença maternidade dos gêmeos. A pior fase aconteceu de novembro de 2014 a março de 2015. O clima na empresa estava pesado, eu quase não dormia por causa do trabalho e dos bebês, o meu relacionamento com o meu marido estava na pior fase e o principal motivo era o fato de que eu queria era pedir demissão, mas ele não concordava. E dizia para eu ter paciência que logo eu seria demitida por causa da reestruturação. Aliás, ele dizia que eu deveria apenas cumprir com as minhas obrigações dentro do horário de trabalho e que com isso eu aceleraria o meu processo de demissão, porém eu não tinha coragem de deixar os clientes na mão.

Enfim, diante de tudo isso a professora da Gabi me chamou na escola. Ela me contou que a Gabi estava muito preocupada que os pais viessem a se separar e que ela não aguentava mais viver no meio de tantas brigas.

Se eu tivesse seguido o meu CORAÇÃO eu teria pedido demissão no momento em que senti que deveria fazer isso, ao invés de esperar o clima ficar tão quente.

Foi nesta ocasião que eu resolvi procurar uma psicóloga para a Gabi. No nosso primeiro retorno de acompanhamento, a psicóloga revelou uma imensa preocupação com a Gabi e contou esta história do castelo dizendo que algo a havia marcado de uma tal forma que ela não tinha vontade de viver. Você já imaginou ouvir que o seu filho (a) de 8 anos não tem vontade de viver? Naquela história a avó da menina que estava presa no porão do castelo não conseguia salva-la.

Se você me conhece e sabe o quanto eu sou emotiva, ou até mesmo se você já passou por uma situação similar e está se colocando no meu lugar, deve imaginar que as lágrimas já estão escorrendo e a garganta está apertada!

No começo desta semana eu voltei na psicóloga. Nas últimas seções com a Gabi a psicóloga pediu alguns desenhos antigos e dentre eles ela encontrou o desenho de um castelo sombrio. No desenrolar da seção a psicóloga pediu para a Gabi desenvolver uma história sobre aquele desenho e surgiu uma história muito parecida com aquela do começo do tratamento (a menina presa no porão do castelo).

E esse castelo foi desenhado quando ela tinha 5 anos, em 2012. Tantas coisas aconteceram naquele ano que eu não conseguia entender exatamente o que a havia marcado tanto.

Gratidão à Roseli por ter tratado a Gabi ao longo deste ano. Entre atividades e histórias hoje ela já está mais auto-confiante, ela consegue se amar e se admirar. Sua autoestima melhorou exponencialmente e nos relatórios da escola ela também apresentou um desenvolvimento extraordinário, não só em notas, mas nos relacionamentos e no comportamento. E isso também se deve ao fato de que o que ela mais queria também se concretizou: Ter a mãe mais perto dela. Hoje eu trabalho em casa e tenho tempo e tempo de qualidade com meus filhos.

Capitulo 1:

Hoje, 17 de dezembro de 2015, tudo ficou mais claro!

Nós almoçamos no clube e a Gabi me desobedeceu. Eu fiquei extremamente irritada que acabei gritando com ela em público. Minha atitude foi horrível, pois ela se sentiu oprimida. Eu percebi a “caca” que eu tinha feito e logo pedi perdão.

A nossa oração de todas as noites consiste em agradecer, perdoar (a si mesmo e ao próximo) e pedir perdão.

Durante a oração, novamente eu pedi perdão à ela e me perdoei. Então ela me fez a seguinte pergunta “Mamãe, porque quando eu tinha uns 5 anos você brigava tanto comigo. Porque você me batia e me colocava de castigo?”

Eu comentei com ela que àquele ano (2012) havia sido um ano muito conturbado e que eu estava muito irritada e pedi para que ela me dissesse quais situações a havia marcado, para que eu pudesse lembrar. Ela disse que eu dei uma chinelada nela uma única vez e que não foi tão forte, mas que o que ela mais ficou chateada foi uma vez que eu a deixei no quarto de castigo. Disse também que ela chorava de dor de barriga na escola porque ela queria que eu a buscasse e ficasse com ela, mas que no final eu acabava brigando com ela. Ela não gostava do meu novo trabalho porque eu não tinha mais tempo para ela.

Novamente o que aconteceu naquele ano foi que eu não estava seguindo o meu CORAÇÃO.

Em outubro de 2011 apareceu uma oportunidade de trabalho que me fez tomar a decisão de mudar de emprego. Era um novo desafio, pois eu estava em uma função diferente em uma empresa diferente e isso me consumiu muito ao longo de 2012. Além disso, a empresa era mais longe e a flexibilidade era menor do que na empresa anterior. Eu já não pegava mais a Gabi na escola. Ela voltava de transporte escolar e tinha uma babá que ficava com ela até eu chegar em casa. Diga-se de passagem, houve uma ocasião em que a Gabi me ligou chorando dizendo que a babá estava batendo nela. Imagina o meu coração como não ficou! O que eu poderia fazer à distância? Eu liguei para uma vizinha e pedi para ela ir até o meu apartamento. E além disso ela estudava no período integral e a minha avó sentia muita dor nas pernas e não tinha mais condições de ficar com ela. Foi a minha avó quem cuidou dela praticamente até 4,5 anos.

Eu trabalhei nesta empresa até abril de 2015. Eu até gostava do meu trabalho, mas o desejo que eu realmente tinha no coração era de trabalhar por conta. Ter um negócio ou ser autônoma de alguma forma.

2012 foi um ano desafiador. Praticamente todos os dias eu deixava a Gabi chorando na escola e ia chorando para o trabalho. Com freqüência me ligavam da escola ou me mandavam bilhete dizendo que ela estava reclamando de dor de barriga. Eu fiz diversos tipos de exames, até que a medica disse que era emocional. A Gabi pedia muito para mudar de escola, foi aí que resolvi coloca-la de volta da escolinha que ela estudava antes. Muita coisa aconteceu naquele ano. Descobrimos que as dores que a minha avó sentia nas pernas era decorrente do câncer que havia voltado. O tumor tomou conta do corpo da minha avó e ela partiu em 28 de novembro de 2012.

Siga seu Coração

Por diversas vezes eu pensei em pedir demissão. Tudo o que eu queria era estar do lado da minha pequena e do lado da minha avó. Mas o meu marido dizia “Sua avó vai morrer e você vai ficar desempregada”. “A Gabi é mimada, dominadora e só quer te controlar. Ela arranja confusão com a escola e com as empregadas”.

O meu coração dizia que eu estava abrindo mão do meu MAIOR valor que é a minha família em prol de uma segurança financeira, de uma preocupação com um futuro que ainda não havia chegado.  Um futuro que eu criei na minha mente, que eu seria uma desempregada.

Mas naquele momento eu poderia sim ter pedido demissão para cuidar da minha filha e da minha avó. Meu marido iria acabar pagando as contas sozinho. As despesas iriam se encaixar e o futuro… à Deus pertence. Só Deus sabe o que é melhor para nós. Pode ser que posteriormente eu tentasse voltar para o mercado de trabalho e tivesse dificuldade, ou pode ser que uma sincronicidade aconteceria e se nascesse uma oportunidade a partir do desejo que eu sempre tive no coração de trabalhar em casa.

E as brigas com meu marido eram decorrentes do fato de eu culpa-lo por não ter me apoiado nas decisões que eu queria tomar. Mas hoje eu sei que foi por amor.  As pessoas que estão ao nosso redor tem a consciência tomada pelas crenças limitantes da nossa sociedade e acreditam que o melhor que existe é o trabalho formal com carteira assinada.

O que eu quero que você entenda com estes 2 capítulos da minha vida é:

1. O Seu Coração Tem Razão.

Aprenda a ouvir o seu coração e sempre que tiver uma vontade forte aí dentro, FAÇA, por mais que a razão lhe faça diversos questionamentos.

Quando seguimos o nosso coração nós aumentamos as chances de sincronicidade a nosso favor! Pense nisso!

2. O Presente Tem mais Valor que o Passado e o Futuro.

A Depressão é o excesso de Passado em nossa vida. E o passado já acabou, não volta mais. A cada segundo você tem uma oportunidade de recomeçar.

Se você observar, foi isso que aconteceu com a Gabi. Em um momento de crise a memória dela logo se retomou ao passado lembrando-se da crise anterior o que a fez ficar deprimida.

A Ansiedade é o excesso de Futuro em nossa vida. O futuro ainda não aconteceu. E se você ficar se pré-ocupando com o que pode acontecer, você perde a única coisa que tem em mãos: o Presente.

E foi isso que aconteceu comigo. Eu não pedi demissão e passei uma fase irritadíssima por causa do meu excesso de futuro. Por causa da preocupação de depois ter dificuldade de voltar para o mercado de trabalho. E com isso eu perdi a oportunidade de estar do lado da minha filha e da minha avó em um momento difícil para elas.

3. As Pessoas Que te Amam Não Estão Contra Você.

Elas apenas possuem uma visão mais limitada. Você é a Única responsável pela sua vida, então não culpe ninguém por não te apoiar, apenas entenda que as pessoas que te amam tentam te proteger do mundo na visão delas.

 

Se este pedacinho da minha vida foi útil para você, curta e compartilhe! E não esqueça de seguir Mamãe de Sucesso nas Redes Sociais.

 

5 Comments

  • Monise 20 de dezembro de 2015 at 01:39

    Uau!!! Estou tbm com um nó na garganta, porque me identifiquei com várias situações. Quando tbm cheguei no meu limite, eu finalmente segui meu coração, e eu só me arrepende de não ter feito isso antes! Parabéns pela coragem e sinceridade, Vanessa. Vc está no caminho certo sim, o caminho da realização e de viver a vida que vc quer e merece! Sucesso pra vc sempre!!! Bjão

    Reply
    • Vanessa 24 de dezembro de 2015 at 11:51

      É isso aí Monise! Devemos seguir nosso coração no momento da decisão, porém não podemos esquecer de convidar a razão no momento da ação.
      Logo mais falaremos mais sobre isso aqui no blog, mas neste vídeo https://youtu.be/YHVnJPEy0dM já é possível saber um pouquinho sobre como planejar metas.
      Fica com Deus e muito sucesso para você também!! bjs 🙂

      Reply
  • E Se Der Certo? - Mamãe de Sucesso 8 de abril de 2016 at 21:08

    […] o tempo passou, muita coisa aconteceu neste período e eu conto um pouco sobre isso aqui neste artigo, mas logo depois que eu voltei da licença maternidade dos gêmeos a minha vida virou um inferno! […]

    Reply
  • Como Vencer o Medo em 3 Passos 27 de outubro de 2016 at 06:09

    […] coragem de seguir o seu coração e transforme a sua vida no sonho de vida que você merece […]

    Reply

Leave a Comment