Como conciliar Empreendedorismo Materno e Casamento

Uma mamãe empreendedora tem muitos desafios! A  verdade é que além dos negócios, a maternidade e o casamento também são peças fundamentais que não podemos deixar cair neste malabarismo.

E o casamento já é, por si só, um grande desafio. Com o tempo é normal que algumas dificuldades apareçam.

Ao mesmo tempo em que aprendemos a nos acostumar com o jeito um do outro… também podemos nos distrair, e permitir que alguns comportamentos automáticos atrapalhem a relação.

E daí você já viu, né?

Lembre-se sempre que um problema conjugal pode afetar diretamente sua vida como mãe e como empreendedora. Por isso é essencial manter o equilíbrio: filhos, trabalho e casamento.

Os homens também choram!

Durante o tempo em que estive a frente do blog Mulher Sábia e Virtuosa, embora meu foco fossem as mulheres, recebi muitos emails de maridos pedindo socorro.

Homens sérios, desejosos de salvar a relação, mas que se declaravam esgotados com o comportamento das esposas.

O casamento é uma união complexa que pode ser, ou não, gratificante. Depende da disposição dos cônjuges, da sabedoria e, muito importante, da atenção aos detalhes.

Muitas vezes nos prendemos às grandes questões que abalam as relações, mas nos esquecemos dos pequenos cupins que vão corroendo o conteúdo por dentro. E, aos poucos, tudo se torna oco e frágil.

É importante estarmos atentas, e combater os minúsculos cupins toda vez que aparecerem. Nesse sentido, compartilho com você quatro comportamentos que são grandes geradores de conflitos no lar.

Eles estão entre as quatro maiores queixas dos maridos em relação às suas esposas. Preste bastante atenção a eles para evitá-los no seu dia-a-dia.

Quatro erros que as esposas cometem e estragam o casamento

1.   Excesso de críticas e cobranças

Algumas mulheres acham que os maridos se transformam em gênios da lâmpada assim que colocam a aliança na mão esquerda. Estão sempre querendo que eles satisfaçam-lhes os desejos.

E, como não são casadas com super-homens, reclamam o dia inteiro. São verdadeiras mulheres rixosas. Tornam-se uma fonte de amargura, insatisfação e deboche. E ainda, pasmem, sonham em ser amadas e tratadas com carinho.

Saiba que uma mulher que cobra e exige demais do parceiro, seja em relação ao comportamento, seja em relação às finanças, mina a relação.

Nenhuma felicidade prevalece em um ambiente de murmuração. Muito ao contrário (Provérbios 18:21)

O problema desse tipo de comportamento é que a mulher não percebe que está o tempo todo coagindo, humilhando e desvalorizando o marido. E ninguém, em são consciência, se relaciona verdadeiramente bem com quem o trata como incapaz.

É preciso estar atenta, pois a murmuração, o excesso de cobranças e críticas pode se tornar um hábito tão arraigado, que a mulher nem percebe que comete esse erro. Aí, ela começa a se ver como a vítima da situação, e reclamar ainda mais.

Fique atenta e faça como a bíblia ensina: em tudo dai graças.

2.   Instabilidade emocional

Algumas mulheres simplesmente não conseguem se decidir sobre o que querem. São tão inseguras e instáveis, que mudam de opinião o tempo inteiro. Nesse cenário, é quase impossível para os maridos saber como agradá-las.

Esse comportamento gera um sentimento de incompetência no homem, pois mulheres sem opinião própria, que são conduzidas pelos conselhos de qualquer um, não conseguem pedir conselhos  e respeitar os acordos feitos pelo casal.

 Isso também gera frustração no homem, que se sente desvalorizado.

O resultado é que, com o tempo, o marido desiste de tentar entender e satisfazer  a companheira.  E a esposa, mais uma vez sem compreender, não faz ideia do que motivou a frieza.

Procure ser mais segura, ou, pelo menos, se sua auto estima e autoconfiança estiverem seriamente abaladas, procure ter um referencial único e sólido para sustentar suas decisões. De preferência que seja seu marido.  Assim ele ficará feliz em ser-lhe útil e se sentirá importante.

3.   Mulheres autoritárias

Algumas mulheres são totalmente mandonas e autoritárias. E os homens não costumam gostar disso. São mulheres centralizadoras, que querem controlar tudo e a todos. Creem que só a vontade delas é boa, perfeita e agradável.

Normalmente são esposas que se preocupam em excesso. Fazem tempestade em copo d’água e acham que têm solução para tudo (ainda que não haja, de fato, um problema), ou que seja super simples de resolver.

Mulheres mandonas muitas vezes complicam, só para dizer que só elas podem dar uma solução. E brigam se seus subordinados não acatarem piamente suas ordens (no tempo e no modo delas).

Elas querem intervir na rotina do marido, como se ele não fosse capaz de se virar sozinho, ou não tivesse o direito de cometer erros, como qualquer ser humano.

A triste verdade é que não raras vezes, essas mulheres controladoras são infelizes. Seja porque seus familiares se afastam e a evitam. Seja porque criam um monte de marionetes, sem brilho e personalidade, que acabam por deixá-la sempre irritada.

Muitas vezes a extrema passividade e apatia de um marido, é apenas auto-defesa. Uma maneira de evitar constantes brigas e discussões. Em casa ele liga o piloto automático, na rua, ele se sente livre e feliz.

4.   Excesso de ciúme e insegurança

Se você é do tipo que desconfia de tudo, que segue o marido como um detetive, se intromete em tudo que ele faz e ainda se coloca como constante vítima da situação, se prepare: seu casamento será abalado.

Nenhum marido normal suporta excesso de ciúmes e de baixa auto-estima. Isso algum. São brigas e interrogatórios cansativos e improdutivos.

Se você olhar pelo ponto de vista do marido, é horrível viver com alguém que não confia em você de jeito nenhum, principalmente se a desconfiança for injusta.

O que já vi acontecer, é que às vezes o homem fica tão irritado, que acaba cometendo uma falha, uma traição. É aquela história da lei da atração (não sei se você acredita). Você espera tanto que algo aconteça, que acaba, de fato acontecendo.

Mais uma vez, invista em sua auto-estima. Procure se tornar uma mulher atraente e interessante para seu cônjuge, é o melhor que você pode fazer. E será bem mais agradável para ele viver com alguém bacana, cheia de sonhos e projetos, do que com uma paranóica.

Conclusão

Um casamento se faz pela união de duas pessoas imperfeitas e sujeitas a erros, mas que se amam e, em algum ponto da vida, decidiram que queriam estar lado a lado. Portanto, um casamento é feito, pelo menos, de duas partes.

Digo essa obviedade porque já cansei de ver e escutar mulheres reclamando de seus cônjuges, fazendo-se de vítimas, dizendo-se mau amadas, como se toda a culpa fosse da “frieza dos homens”. Não é bem assim. Nem sempre!

As esposas precisam entender que seus maridos também são pessoas dotadas de sentimentos, emoções e expectativas. E que elas podem sim, ser a causa da frieza na relação. Do afastamento e desinteresse do marido.

Se você acha que seu marido está frio, apático e até agressivo, pense em que parte isso pode ser culpa sua também. Em quanto você pode estar colaborando com erros até inconscientes.

E lembre-se: como uma empreendedora que deseja trabalhar em casa, buscar manter a harmonia dentro do lar, é o mesmo que investir na paz do seu ambiente de trabalho.

Busque sempre o diálogo, o respeito e a cumplicidade.

Para finalizar recomendo que, se precisar de ajuda,  se estiver se sentindo confusa e sem rumo, conheça um treinamento incrível, que poderá lhe trazer muitas respostas e resultados. Clique aqui para saber mais.

E lembre-se: Felicidade é problema seu. Resolva-se! 😉

Cintia Amorim

Cintia Amorim é escritora motivacional e também de literatura infantil. Através de seus blogs e livros tem ajudado milhares de pessoas a se sentirem mais centradas e confiantes. Está à frente do blog cintiamorim.com e do projeto Resolva-se!

No Comments

Leave a Comment